Bem Vindo! Você é o Principal Motivo Deste Blog Existir
.

segunda-feira, maio 31, 2010

Para Lula, governo de FHC foi 'década perdida' da economia


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva classificou o período do governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) como parte das décadas perdidas na economia. Lula afirmou em discurso na abertura do Michelin Challenge Bibendum, no Riocentro, no Rio de janeiro, que o país agora tomou gosto pelo crescimento.
"Qualquer um de vocês pode checar que poucas vezes investimos tanto em infraestrutura no país como agora. Tivemos algo próximo disso em 1975, mas na época o governo tomou dinheiro emprestado a 6% e, logo depois, os juros subiram 21%. Sabemos o que se passou com isso. Passamos duas décadas perdidas, entre 1980 e 2000", afirmou Lula.
Em seu discurso, Lula criticou ainda os países ricos dizendo que o Brasil mostrou ao mundo, "humildemente", como se faz política econômica com seriedade. "O Brasil aprendeu que o que acontece no mundo hoje é de uma irresponsabilidade muito grande. O mercado não é Deus e o estado não é o diabo. Aprendemos que se os dois funcionarem bem juntos é um tanto melhor", disse. "No Brasil, não vacilamos", disse.
"Acabamos também com essa história de PIB potencial, que era uma bobagem de alguns economistas que diziam que o Brasil não podia crescer mais de 3% que a casa caía. Agora, vimos que é gostoso crescer 4%, 5%, 6%. Também não queremos crescer demais porque não queremos ser uma sanfona, que vai a 10%, volta a 2%, que vai a 10% e volta a 2%. Queremos crescer de forma sustentável", completou Lula.

Tragédia ambiental
No evento, Lula também comentou as ações de combate ao vazamento de petróleo no Golfo do México e afirmou que problema semelhante no Brasil seria motivo para um escândalo internacional. "Os grandes não sabem parar o vazamento. "Acho engraçado, se fosse a Petrobrás, na Baía de Guanabara, seria um escândalo o que o mundo desenvolvido faria contra nós", disse. A declaração de Lula sobre o desastre ambiental foi motivo de aplausos da plateia que participa da abertura do Michelin Challenge Bibendum.
O presidente ainda defendeu o biodiesel como importante matriz energética do país e disse que vai incentivar a produção de combustível a partir da palma do dendê. "Além de fornecer combustível, vai dar para recuperar uma área degradada de mais de 30 milhões de hectares no Pará", disse.

Renovação da frota
O evento do qual o presidente participou apresenta uma série de soluções para mobilidade rodoviária sustentável como veículos que usam energia limpa. O presidente defendeu a renovação da frota brasileira. Lula chegou ao pavilhão da abertura da feira em um ônibus movido a hidrogênio desenvolvido pelo Laboratório de Hidrogênio da Coppe/UFRJ, apontado como oção de transporte sustentável para o Rio na Copa de 2014 e nas Olimpíadas de 2016.
Segundo Lula, há algum tempo o Brasil tomou consciência de que era preciso renovar sua frota de automóveis, que segundo ele, tinha a idade média avançada. Ele destacou que essa renovação ocorrida nos últimos anos aumentou o nível de emprego e ajudou na redução da emissão de gases do efeito estufa. "Hoje, praticamente 100% dos carros produzidos no país são flex fuel, sendo que 60% da preferência dos motoristas desses carros é pelo etanol na hora de encher o tanque. Isso reafirma o etanol como importante matriz energética brasileira", disse.
O presidente afirmou ainda que houve renovação da frota de caminhões e tratores. Ele lembrou que foram realizados avanços no programa de financiamento para prefeituras para que tenham possibilidade de renovar sua frota de ônibus. "Temos ônibus com mais de 20 anos de uso rodando, ou seja, não só poluindo, mas colocando a vida das pessoas em risco. Vamos aumentar a produção para atender não só o Brasil mas a América do Sul, a América Latina e o continente africano", disse. Vermelho, com agências

por:TERROR DO NORDESTE.

domingo, maio 30, 2010

O discurso da oposição.

domingo, 30 de maio de 2010


Marcos Coimbra


Correio Braziliense - 30/05/2010


Foi nas oposições que os efeitos da manutenção da popularidade do governo em patamares tão altos foram mais profundos. Como ser contra um presidente que três, em cada quatro pessoas, consideram ótimo ou bom? Como fazer oposição a alguém aprovado por 85% dos eleitores?

O tamanho da aprovação popular do governo Lula é impressionante, pelo que conhecemos em nossa curta história como democracia moderna. Pode ser que em outros países — como alguns de nossos vizinhos — números iguais aos seus não causem tanta impressão. Aqui, no entanto, deixam todos boquiabertos.

Eles não chamam atenção apenas pela magnitude, mas, também, pela permanência em níveis elevados. A rigor, não param de crescer desde quando Lula enfrentou seu inferno no segundo semestre de 2005, nas profundezas do mensalão. Subiram durante o processo eleitoral de 2006, o que foi considerado natural, pois decorria da superexposição trazida pela campanha, mas não cederam em 2007, mesmo sem a mídia excepcional.

Do começo de 2008 em diante, o que era bom melhorou, e a popularidade do governo entrou em rota ascendente. Nela, prossegue atualmente. Ao contrário de seus antecessores, que terminaram pior (ou muito pior) do que quando começaram, parece que Lula vai continuar subindo até sua despedida em dezembro.

Esses altos níveis de aprovação tornaram-se o mais importante elemento do jogo político brasileiro e produziram efeitos em todos os lados. Dentro da coalizão governista, acentuaram a característica centrípeta de nosso sistema político, aumentando a concentração do poder no seu núcleo. A candidatura de Dilma é a manifestação mais visível desse fenômeno.

Nas relações internacionais, funcionaram como um endosso da liderança pessoal do presidente, fazendo com que fosse percebido, mundo afora, como uma unanimidade nacional. Seus interlocutores externos passaram a se relacionar com ele a partir dessa premissa.

Mas foi nas oposições que os efeitos da manutenção da popularidade do governo em patamares tão altos foram mais profundos. Ela desnorteou os adversários, deixando-os sem discurso e sem capacidade de reação. Como ser contra um presidente que três, em cada quatro pessoas, consideram ótimo ou bom? Como fazer oposição a alguém aprovado por 85% dos eleitores?

Com exceção de algumas lideranças (mais corajosas ou mais inconsequentes, conforme o ponto de vista), as bases dos partidos de oposição — seus líderes locais, vereadores e, especialmente, prefeitos —, bem como muitos deputados e até alguns senadores, preferiram não se desgastar com seus eleitores, evitando polêmicas e embates com o presidente. Com isso, só reforçaram a tendência ascendente de sua aprovação.

Neste momento, quando entramos na reta final do processo sucessório, os impasses vividos pela oposição nos últimos anos estão se tornando mais agudos. Se foi difícil opor-se ao governo, como convencer os eleitores de que é preciso mudar? Se a grande maioria de seus parlamentares, prefeitos, governadores, fez questão de não radicalizar em um discurso oposicionista ao longo de todo o segundo mandato de Lula, seria agora que o assumiriam?

Veja-se o caso de Serra. Nos quatro anos em que conviveu com Lula como governador de São Paulo, sempre se apresentou como parceiro do governo federal, com desavenças apenas pontuais. Houve, até, quem dissesse que Lula ficaria tranquilo se fosse ele o vencedor este ano, tão boas eram suas relações e tão profundos seus laços de amizade. Quem quis se iludir chegou a pensar que, para Lula, perder para Serra não era perder.

E o que vai acontecer na campanha este ano? Salvo o ex-governador, obrigado a desempenhar o indesejável papel de adversário de Lula, a maioria dos candidatos dos partidos de oposição vai querer tudo, menos arriscar-se à derrota, confrontando os sentimentos dos eleitores. Aqui ou ali, quem concorre ao Legislativo talvez fale claramente que é contra Lula e o que ele representa. Mas não esperemos o mesmo dos candidatos a cargos majoritários, aos governos estaduais e ao Senado. Quem precisa de maiorias não vai se indispor com elas.

Enquanto aumentam as pressões, vindas dos núcleos de oposição ao governo na sociedade e na mídia, para que Serra diga, sem rodeios, o que pensa, ele reluta. Tem consciência de que, fazendo isso, suas chances na eleição, que já são pequenas, podem desaparecer.

sábado, maio 29, 2010

Ninguém quer ser vice de Serra

O senador Tasso Jereissati (CE) agradeceu ontem a “lembrança” de seu nome pelo presidente do PSDB, Sérgio Guerra, mas descartou mais uma vez o convite para ser vice do pré-candidato tucano à Presidência da República, José Serra. “Não penso nisso. Aqui eu sou candidato a senador. Quero continuar trabalhando pelo povo do Ceará. Se os cearenses quiserem essa é a minha expectativa”, disse Tasso à TV Jangadeiro. As declarações foram dadas em Paracuru, cidade do litoral oeste cearense, onde Tasso recebeu homenagem e se reuniu com lideranças locais.(As informações são do jornal O Estado de S. Paulo).
PT: comissão chega segunda-feira

“Precursora: O PT despachará para o Maranhão na segunda o secretário-geral do partido, José Eduardo Cardozo, e o de Organização, Paulo Frateschi. A dupla tem a missão anunciada de apurar as denúncias de compra de votos de delegados do partido por parte do PMDB de Roseana Sarney.”
As informações acima são da coluna Painel, da Folha de São Paulo. A coluna se equivoca ao citar a participação do PMDB no episódio. No próprio factóide divulgado por Veja não é citado nenhum peemedebista na história.
por: Décio Sá

Solteiros se unem em busca do par perfeito em São Paulo

Evento levou cerca de 200 pessoas ao local na tarde deste sábado (29)
Cerca de 200 corações solitários em busca do par perfeito se reuniram na tarde deste sábado (29) no Parque do Ibirapuera, na Zona Sul de São Paulo, para conhecer novas pessoas e, talvez, sair de lá com a cara metade.

Credito: G1 Organizado por um site de relacionamentos, a segunda edição do “Movimento dos Sem Namorados” tem como meta fazer com que os solteiros se conheçam e protestem contra a dificuldade de encontrar namorados e namoradas.

O evento reuniu pessoas que aparentavam estar mesmo procurando alguém para amar e pessoas que aproveitaram a oportunidade para participar da festa, com faixas e camisetas fornecidas pelo site.

Os amigos Guilherme Picerni, de 21 anos, André Crumfil e Gustavo Suldon, ambos de 19, se destacaram entre os participantes. De blazer e cueca, os três foram o centro das atenções. “O terno é para mostrar que somos pessoas sérias. A cueca é porque a diversão sempre vem em seguida”, disse Gustavo.

Ele, que afirma não ter namorada, ainda tinha esperanças de encontrar alguém, apesar de muita gente que passava pelo local afirmar que a maioria dos participantes eram contratados pelo site.

Segundo o presidente da empresa de relacionamentos, que tem sede no Rio de Janeiro, a segunda edição do evento deveria reunir ainda mais pessoas durante a tarde. Ele afirma que após o evento a procura das pessoas aumenta. “E em junho, mês dos namorados, cresce 40%”, afirmou Cláudio Gandelman.
VNews

QUANDO UM JORNALISTA NÃO TEM O QUE ESCREVER EM SUA COLUNA DIÁRIA

Deselegância
Enquanto por aqui Lula tenta apagar a presença de Fernando Henrique na história do País, nos EUA, veja só, Obama recebeu ontem a seleção de futebol do país acompanhado de Bill Clinton. Na tragédia do Haiti, mandou o antecessor George Bush como demonstração da importância da missão. Não dói muito ser elegante.
(Ancelmo Góis, JC, 28.05.2010)
Da editoria-geral do Terra Brasilis
Com esta nota em sua coluna de hoje no Jornal do Commercio (Recife), o jornalista Ancelmo Góis faz o papel dos pregadores da ideia de que FHC é um grande injustiçado. E no governo LULA, então...!!! Ora, o que tem feito FHC durante o governo LULA para que este o convide a participar de um evento como a recepção ao selecionado brasileiro na última quarta-feria, 26? Pois eu já digo, caro jornalista: FHC tem, de forma sistemática e com a colaboração covarde de uma mídia pouco afeita à imparcialidade, demonstrado seu revanchismo e sua inveja por estar diante de um presidente-operário que, no comando da nação, tem se esforçado para construir um Brasil para os brasileiros. Não há nada que ligue FHC a LULA. Há, sim, aquilo que os faz diferentes: a forma de conduzir um país. FHC, o intelectual, falhou; LULA, o "operário-apedeuta", vem confirmando sua competência para dirigir um país e tirá-lo da crise que a última gestão criou e deixou. O país de FHC não é o mesmo de LULA. A alta popularidade do atual presidente reafirma isso. Muita coisa ainda há por fazer, mas o que LULA fez já nos aponta um caminho a seguir. Seguir com altivez e a brasilidade há muito esmagadas pelo complexo de vira-latas.
Não há deselegância em não ter convidado FHC para recepcionar a Seleção Brasileira, como o caro jornalista deixa entrever na sua notinha. O que há é, da parte do jornalista, a gratuita vontade de manchar as ações do presidente LULA.
Quanto ao fato de Obama ter enviado George Bush ao Haiti "[...] como demonstração da importância da missão", parece-me que o caro jornalista Ancelmo Góis deu um tiro no próprio pé. O que Bush fez naquela "importante missão"? O JN e o Jornal da Globo veicularam imagens que bem mostraram o comportamento pouco respeitoso do ex-presidente George Bush para com os haitianos (assista ao vídeo abaixo). Aquele "limpar a mão na camisa do ex-presidente Clinton", vindo de alguém que comandou a maior potência mundial, não foi digno, caro jornalista... Foi imoral!
LULA não poderia convidar FHC para qualquer missão, porquanto o "Príncipe" da sociologia tupiniquim tem feito severas críticas à maneira como o atual governo conduz a aplaudida política externa. Imagine o estrago que FHC faria numa missão internacional delegada pelo governo do presidente LULA. Talvez ele, FHC, tivesse um transtorno psíquico e alardeasse, diante dos holofotes da imprensa, ser ele o presidente de fato! Mas, certamente, ele não tiraria catota do nariz em público, como faz um certo correligionário seu.

quinta-feira, maio 27, 2010

Eu mereço um netbook!


Quero participar desse concurso cultural, (eu mereço um netbook) pelo seguinte motivo:
faz quase um ano que estou participando desse site, entro aqui quase todo os dias, compartilho com meus amigo.
Tenho uma participação muito atíva, sem causar nenhum conflito, sempre procurando fazer grandes amizades e isso eu consegui graças a todos os que aqui também participam, esse é um dos motivos.
Outro motivo que mais importante é que tenho tres filha pequenas que provavelmente iriam gostar muito de ganhar um netbook, acho que esse são os meus motivos por que eu mereço ganhar um netbook.
Quero também agradecer a direção do site, por esse concurso cultural.

Orlando dos santos: mmmlsantos.

Comerciantes reclamam de assaltos no bairro Santana, em São José dos Campos

VNews
Câmeras de segurança gravaram a ação de bandidos que roubaram uma joalheria
Em um único bairro de São José dos Campos, Santana, mais de 20 comerciantes foram roubados nos últimos dois meses. Os assaltantes seriam adolescentes que invadem as lojas de bicicletas.

Credito: Reprodução / Rede Vanguarda O dono de uma sorveteria, Mário Sampaio, tem comércio há 40 anos em Santana e agora pensa em fechar as portas. O estabelecimento dele foi invadido por bandidos. "Eram três indivíduos, um ficou na porta, um rende um casal que estava tomando sorvete e outro entrou no balcão e me rendeu".

Depois do assalto, o comerciante conversou com vizinhos e fez as contas. Entre abril e maio, pelo menos 20 estabelecimentos foram roubados na Avenida Rui Barbosa e em ruas ao redor. Os assaltos foram em horário comercial e na maioria das vezes, os bandidos estavam armados.

A avenida é monitorada por câmeras de segurança, mas elas não inibem os ladrões. O dono da joalheria do bairro faz parte da lista de vítimas. Ele conta que em um ano foi assaltado três vezes e teve prejuízo de mais de R$ 100 mil. As câmeras de segurança gravaram a ação dos bandidos. Em um dos assaltos, pelo menos quatro homens invadiram a loja e levaram produtos que estão no balcão.

Credito: Reprodução / Rede Vanguarda Benedito Silva, que tem uma casa de açaí, foi roubado quatro vezes. "A gente tem mais medo do susto do que do dinheiro que eles levam". Para os comerciantes, faltam policiamento e esclarecimento dos crimes. “Eu estou achando que está faltando a inteligência da polícia", reclamou Benedito.

A Polícia Militar registrou na primeira quinzena de maio três roubos e três furtos na região. "São alguns crimes que estamos tentando verificar de onde surgiram. Em alguns, nós conseguimos prender em flagrante", disse o capitão Welington Leite.

A polícia civil afirma que está agindo para esclarecer os crimes na zona norte. "Nós estamos agindo com bastante rigidez, com inteligência, com pesquisa", falou o delegado Rubergil Violante.

A polícia orienta que os comerciantes façam boletins de ocorrência. Só dessa forma, os crimes podem ser contabilizados.

Assaltos SJC
Comerciantes de Santana estão assustados




Dunga libera sexo nas folgas da Seleção

'Nem todo mundo gosta de sexo, nem todo mundo gosta de sorvete', diz técnico

LANCEPRESS!

Dunga  liberou sexo, mas cobrou respeito aos companheiros

Dunga liberou sexo, mas cobrou respeito aos companheiros (Crédito: Reuters)

O técnico Dunga não foi tão flexível quanto Maradona em relação ao assunto "sexo durante o Mundial". Os jogadores da seleção argentina estão liberados para fazerem até mesmo na concentração. Os brasileiros, apenas durante as folgas - e respeitando os companheiros

- Temos de respeitar as individualidades quando estamos concentrados. Temos de respeitar o bom convívio. Agora, na folga cada um faz o que quer. Nem todo mundo gosta de sexo, nem todo mundo gosta de sorvete. Tem de respeitar. Não tem promessa sobre isso. A promessa é só trabalhar - afirmou Dunga nesta quinta-feira, já na cidade sul-africana de Johanesburgo.

O técnico disse ainda não ver problemas em visitas de amigos e familiares aos jogadores. No entanto, ressaltou que os encontros serão permitidos na medida em que não atrapalharem a programação da Seleção. O mesmo vale para as folgas dos atletas.

- No momento oportuno, quando virmos que há uma carga de trabalho pesado, vamos dar folga. Sobre visitas de amigos e familiares, não há problema. Quando acharmos que é o momento, não terá problema algum - afirmou.

Maradona: 'Se a Argentina ganhar a Copa do Mundo, eu fico pelado'

Técnico promete desfilar sem roupa pelo centro de Buenos Aires se for campeão mundial e garante que Messi sabe cantar o hino do país
O técnico Maradona afirmou que desfilará pelo centro de Buenos Aires sem roupa, caso a seleção argentina vença a Copa do Mundo pela terceira vez. A promessa foi feita antes do embarque para a África do Sul.

- Se ganharmos o Mundial, eu fico nu no Obelisco - avisou Maradona, referindo-se ao monumento que fica na Avenida Nove de Julho, a maior da capital argentina.

Depois de criar polêmica, ele tentou acabar com outra, negando um boato de que o atacante Messi, que mora na Espanha desde os 13 anos, não saberia cantar o hino de seu país:

- Messi sabe cantar o hino perfeitamente. O hino é o melhor aquecimento que um jogador pode ter durante uma partida. No momento em que se canta, vem à memória que é preciso lutar pela camisa, pela família que te assiste em casa, por todos os argentinos que representamos. Todos nós entendemos isso.

A Argentina começa sua caminhada na Copa do Mundo no dia 12 de junho, contra a Nigéria, em Pretória. No Grupo B, também estão Coreia do Sul e Grécia.

GloboEsporte.com

Obama reconhece esforços de Brasil e Turquia

Por: Bruno Pongas

Em comunicado, presidente dos EUA agradece iniciativa para solucionar crise nuclear iraniana
Obama reconhece esforços de Brasil e Turquia

AFP PHOTO

Após reforçar o interesse em sanções contra o Irã, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, telefonou nesta quarta-feira para o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, “para reconhecer o esforço feito por Brasil e Turquia a fim de resolver a crise nuclear iraniana”.

Em comunicado, a Casa Branca informou que “o presidente Obama conversou hoje, por telefone, com o primeiro-ministro Erdogan e reconheceu os esforços de Turquia e Brasil”.

Ainda de acordo com a nota, Obama mostrou “a preocupação contínua e fundamental da comunidade internacional sobre o programa nuclear iraniano, e o fato de que o Irã não respeita suas obrigações internacionais”.

Hoje, o governo norte-americano voltou a insistir num novo pacote de sanções contra Mahmoud Ahmadinejad. A iniciativa foi repudiada por Brasil e Turquia, que julgam que Teerã cumpriu com suas obrigações ao se comprometer em enriquecer urânio fora do país.

Tal pacote de restrições, que conta com fiel apoio dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, planeja sanções irreparáveis ao Irã, que pode ficar proibido de investir no exterior, além de ter seus navios inspecionados em alto-mar e sofrer embargo sobre a compra de armamento pesado.

Hospital espanhol diz que fará 1º transplante de pernas do mundo

Paciente teve as pernas amputadas e desenvolveu intolerância a próteses. Transplante duplo é técnica experimental; Pedro Cavadas vai liderar equipe.
O Hospital La Fe de Valência (Espanha) realizará o primeiro transplante de pernas do mundo após ter recebido a autorização da Organização Nacional de Transplantes (ONT), informou nesta quarta-feira (26) o Ministério da Saúde espanhol.

A decisão levou em conta o relatório propício do paciente, que teve as duas pernas amputadas e precisa de uma alternativa, pois não tolera as próteses.

O Hospital La Fe fará a cirurgia, ainda sem data determinada, em colaboração com o médico espanhol Pedro Cavadas, que vai liderar a equipe de cirurgiões. Os demais profissionais pertencem ao elenco do hospital valenciano.

O transplante duplo de pernas é uma técnica experimental, assim como os pioneiros transplantes de rosto e de mãos, já realizados pelo cirurgião espanhol.

Cada aval concedido é para um paciente concreto e, portanto, segundo o Ministério da Saúde, "o sinal verde de hoje não pode se estender nem a uma equipe nem a um hospital".

Quando for realizada essa cirurgia, a Espanha terá completado sete transplantes experimentais de tecidos compostos: três de mãos (Hospital La Fe de Valência), três de rosto (La Fe, Virgen del Rocío, de Sevilha, e Vall d'Hebron, de Barcelona) e um de pernas (La Fe).

VNews

quarta-feira, maio 26, 2010

Imagem da imprudencia, vejam a reportagem.

Imprudências e acidentes no túnel de Florianópolis.
Túnel em Florianópolis: as câmeras registram um pega entre dois automóveis em alta velocidade.O abuso termina em violento acidente. Veja o vídeo.

por Fernando Zamith

terça-feira, maio 25, 2010

Prefeitura de São José anuncia retomada das obras do novo Teatro Municipal

A responsável pelo projeto será uma empresa do poder público, a Urban
A prefeitura de São José dos Campos anunciou nesta terça-feira (25) a retomada das obras do novo Teatro Municipal. Depois de dois anos de tentativas frustradas, a responsável pelo projeto será uma empresa do poder público.

Credito: Reprodução / Rede Vanguarda As obras devem ser reiniciadas em um mês. A Urbam, empresa da prefeitura, irá construir o prédio de 12.400 metros quadrados que vai custar cerca de R$ 23 milhões. O Teatro Municipal começou a ser erguido em 2008, mas a construtora abandonou a tarefa. Além disso fez a fundação de forma invertida.

Em dezembro de 2009, a prefeitura fez uma nova licitação, mas considerou que nenhuma empresa candidata estava habilitada para a obra. Na última tentativa de retomar o projeto, não houve interessados.

Cynthia Gonçalo, secretária de planejamento da cidade, falou sobre o assunto: "Elas (as empresas) acusaram que o preço praticado por elas na capital, é muito acima do preço praticado em São José. Aqui tivemos apenas uma empresa que se interessou, também por um preço acima do que foi praticado na nossa licitação. Então devido a esse momento do mercado nós decidimos que a melhor alternativa era realmente nós irmos para uma solução caseira".

Segundo a Urbam, o Teatro Municipal será entregue em dezembro de 2011.

Fonte: VNews

os melhores do mundo

os melhores do mundo em combate ao crime onde aparece o policial saraiva personagem mais querido do publico!!
Todo mundo tem seu preço voce sabia, um milhão não é muito dinheiro! um milhão! Saraiva.

DIRETO DE CUIABÁ, MATO GROSSO!

ESSA MULHER APRENDEU COM O CABRA VALENTE SER FORTE, E AMAR POVO MATOGROSSENSE




ENELINDA SCALA, é candidata a suplente pelo Partido dos Trabalhadores. Essa mulher, lutou desde jovem, em prol dos menos favorecidos, que hoje são chamados povo de LULA. Sim porque LULA a cada dia mais nos orgulha na presidência. Essa mulher, a sanfoneira, que tem muitos fãs e também ja foi criticada, tem garra , tem luta, tem história. Já acompanhei Enelinda na caminhadas, e quando cansamos ela diz vamos lá companheiros, temos muito o que fazer, sorri quando alguns magoados dizem que ela tem que ir pra casa. Ela não se deixa abater, claro que sente no coração o desrespeito que pessoas incensíveis a magoam, mostram que não tem sentimentos esquecem que neste mundo estamos de passagem. Que ESSA MULHER, mãe , avó, esposa, dona de casa e professora muito nos orgulha e nunca elameou o nome de nosso partido. Ela só faz pedir a unidade e paz. Apoio Enelinda porque nela confio, ela me orgulha e sei que jamais faria algo que prejudicasse nosso povo, espero sinceramente que

ABICALIL RECONHEÇA O TRABALHO DE ENELINDA, SE CONVENÇA E CONVENÇA SEU GRUPO A ACEITAR ESSA GUERREIRA QUE JÁ FEZ TANTO POR NOSSO PT E PELO POVO MATOGROSSENSE. Queremos juntos levantar bandeiras em favor dos candidatos do nosso partido, companheiros: juntos seremos fortes. Lembrem-se: só o pt derrota o pt, temos um projeto grande, não podemos retroceder, o povo e as crianças do Brasil precisam que o trabalho de LULA CONTINUE COM DILMA ROUSSEFF!

Seleção brasileira copa do mundo 2010

Troféu antipatia para a seleção brasileira.

Talvez tenhamos a seleção mais antipática de todos os tempos.

O professor Dunga é o principal responsável por toda essa antipatia.

Fez da concentração do Brasil um ambiente fechado, pessoas grosseiras, e um clima pesado e nada amistoso.

Claro que não podemos ter bagunça e desordem, mas equilíbrio e bom senso não faz mal à ninguém.

Só espero que os resultados aconteçam dentro de campo, pois se depender da energia e do clima lamentávelmente poderemos “dançar”.

A seleção é de um país, e não do Dunga, e a arrogância e prepotência desses caras, é assustadora.

Por: Nilson Cesar.

Após queda serra, prioriza sudeste



Datafolha apontou perda de pontos na região; campanha intensificará agenda com aliados

Segundo Sérgio Guerra, presidente do PSDB, com a aproximação da Dilma, disputa será "uma batalha campal"

CATIA SEABRA
DE SÃO PAULO

Reunido ontem em São Paulo, o comando de campanha de José Serra (PSDB) à Presidência fixou a reconquista do Sudeste como prioridade de agenda.
Para conter a queda na região, a campanha investirá na parceria com Geraldo Alckmin em São Paulo e com Aécio Neves em Minas.
Na quinta, ele aterrissará no Rio, onde deve estar também em 19 de junho, dia da convenção do PV no Estado.
"Esperamos a chegada de Aécio para incrementar a agenda em Minas", disse a senadora Marisa Serrano (MS), que organiza agenda para o dia 31 em Minas.
Segundo o Datafolha, de abril para cá, a vantagem de Serra sobre a petista Dilma Rousseff encolheu de 19 para 7 pontos no Sudeste.
Serra não abandonará o Sul, onde estará amanhã, e terá agenda no Nordeste, especialmente no São João.
Com o empate, a oposição aposta numa disputa violenta. Segundo o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, será "uma batalha campal". Também insistindo que a agressividade parte do adversário, o ex-senador Jorge Bornhausen (SC) diz que será "uma disputa sangrenta".

segunda-feira, maio 24, 2010

Roberto Carlos Braga

Roberto Carlos Braga Cachoeiro de Itapemirim, 19 de abril de 1941, conhecido simplesmente por Roberto Carlos ou ainda Rei Roberto Carlos, é um cantor e compositor brasileiro, sendo um dos principais representantes da Jovem Guarda e o cantor brasileiro que mais vendeu discos, mais de 120 milhões de cópias no mundo inteiro. É freqüentemente referenciado no Brasil como "rei", notório ainda por seus grandiosos shows de final de ano e sua aversão pela cor marrom.

Em 1984, sua canção "Caminhoneiro" foi executada mais de três mil vezes nas rádios do país em um único dia e, no ano seguinte, "Verde e Amarelo" bateria esta marca ao ser tocada três mil e quinhentas vezes.. Ganhou em 1988 o Grammy de Melhor Cantor Latino-americano e, no ano seguinte, atingiu o topo da parada latina da Billboard. Ainda em 1989, teve grande repercussão com "Amazônia". No tradicional especial de fim de ano da Rede Globo cantou sucessos como Outra vez ao lado de Simone.
Verde amarelo:
Composição: Roberto Carlos / Erasmo Carlos
Verde e amarelo, verde e amarelo
Boto fé, não me iludo
Nessa estrada ponho o pé, vou com tudo
Terra firme, livre, tudo o que eu quis do meu país
Onde eu vou vejo a raça
Forte no sorriso da massa
A força desse grito que diz: "É meu país"
Verde e amarelo
Sou daqui, sei da garra
De quem encara o peso da barra
Vestindo essa camisa feliz do meu país
Tudo bom, tudo belo
Tudo azul e branco, verde e amarelo
Toda a natureza condiz com o meu país
Verde e amarelo, verde e amarelo
Só quem leva no peito esse amor, esse jeito
Sabe bem o que é ser brasileiro
Sabe o que é:
Verde e amarelo, verde e amarelo
Bom no pé, deita e rola
Ele é mesmo bom de samba e de bola
Que beleza de mulher que se vê no meu país
É Brasil, é brasuca
Esse cara bom de papo e de cuca
Tiro o meu chapéu, peço bis pro meu país
Verde e amarelo, verde e amarelo
Verde e amarelo
Boto fé, não me iludo
Nessa estrada ponho o pé, vou com tudo
Terra firme, tudo o que eu quis é o meu país
É Brasil, é brasuca
Esse cara bom de papo e de cuca
Tiro o meu chapéu, peço bis pro meu país
Verde e amarelo, verde e amarelo
Verde e amarelo
É a camisa que eu visto
Verde e amarelo
Azul e branco também
Verde e amarelo
É Brasil, é brasuca
Verde e amarelo, verde e amarelo
Boto fé, não me iludo
Nessa estrada ponho pé, vou com tudo...

Prefeitura de São Sebastião prepara programação para o mês do Meio Ambiente

Credito: Celso Moraes.

PMSS A Prefeitura de São Sebastião programa atividades a serem desenvolvidas durante o Mês do Meio Ambiente, previsto para ocorrer entre 26 de maio e 16 de junho.

A programação elaborada pela Semam (Secretaria de Meio Ambiente), prevê para o primeiro dia de atividades a oficina de sementeira com o Instituto Terra & Mar, e ainda a palestra “Serpentes da Mata Atlântica”, com Otávio Marques do Instituto Butantan. A primeira ação acontecerá das 9h às 10h, das 10h30 às 11h30, das 14h às 15h e das 15h30 às 16h30; já a segunda, terá início às 18h30. Ambas, no Teatro Municipal.

Para o dia 1º de junho estão previstas a solenidade oficial de abertura do Mês do Meio Ambiente com o lançamento do Atlas Ambiental, apresentação da readequação do galpão de triagem da Coopersuss e dos projetos da Semam, a partir das 18h; na sequência, às 18h30, haverá apresentação de dança com o grupo do Programa de Jovens apoiado pela pasta em questão.

Na quarta-feira 2, às 15h, acontecerá a caminhada “Meio Ambiente e Qualidade de Vida”, em parceria com o Cras (Centro de Referência de Assistência Social), na Topolândia. Considerado o maior bairro populacional do município, o Topo, como é popularmente conhecido, receberá neste mesmo dia, das 17h às 20h, nas dependências da escola estadual “Josepha de Sant’Anna Neves”, a feira de informações ambientais com a participação de várias instituições.

Para o Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, estão previstas a limpeza do mangue do Araçá, das 9h às 12h, envolvendo as praias adjacentes e o mangue propriamente dito. Também acontecerá, às 19h, no calçadão em frente à Sectur, na Rua da Praia, situada no Centro Histórico da cidade, o 1º Ambiental Fashion com o desfile de roupas e acessórios feitos a partir de materiais recicláveis e naturais.


A programação segue na segunda-feira 7, com a montagem da exposição das escolas e do Greenpeace, das 9h às 16h, e no dia 8, às 19h, com a palestra “Normas e critérios sob arborização e paisagismo urbano. Um novo conceito sobre as tendências de espécies nativas”, com Guilherme Moraes dos Santos. As duas atividades ocorrerão no Teatro Municipal.

As mesas redondas denominadas de “Bate-papo Ambiental” e as exposições de artesanato promovido pelo Programa de Jovens, de “Biodiversidade: caminhos da vida” e “Salvar o planeta: é agora ou nunca”, promovido pelo Greenpeace, serão realizadas nos dias 8, 9 e 10, das 9h às 17h, no teatro.

No penúltimo dia do evento haverá o plantio de jundu, na praia de Maresias, na Costa Sul do município, em parceria com a Somar, das 9h às 12h, e para o encerramento da programação está previsto o workshop de pesca “Prática de pesca e produção de rede”, na praça Por do Sol, em Boiçucanga, também na Costa Sul, a partir das 10h.

domingo, maio 23, 2010

Batalha eleitoral 2010

Eduardo Bomfim *

A batalha eleitoral que já começamos a viver vai definir quais os rumos que o Brasil e Alagoas vão tomar nos próximos quatro anos. Não se trata simplesmente de mais um outro pleito comum no jovem processo democrático nacional surgido da vitória do povo brasileiro contra o arbítrio em 1985.

Na verdade o que se encontra em disputa são dois projetos econômicos, sociais e políticos antagônicos. Um deles representa a receita neoliberal que governou o País durante os oito anos do presidente Fernando Henrique Cardoso, cujas consequências mais nefastas foram a estagnação econômica, o desemprego, a humilhação da soberania nacional.
Muito embora os neoliberais estejam presentes por todo o território nacional, fundamentados em uma doutrina dogmática e de mentalidade colonizada, na política e no modo de ver a vida, portanto na cultura em seu sentido mais amplo, o quartel general deles se encontra nos centros financeiros da Avenida Paulista e habitam áreas dos jardins paulistanos.
O outro projeto é fundamentalmente o da defesa da soberania nacional em todas as suas variantes, econômica, social, política e a própria integridade física do nosso vasto território continental.
O que implica no fortalecimento do Estado brasileiro como elemento indutor dos segmentos produtivos, públicos ou privados, além da responsabilidade para com os investimentos de caráter social. São milhares de ações na área de infra-estrutura, em saúde, educação, estradas, setor naval, aeroportuário, habitacional etc. Nesses oito anos cresceu extraordinariamente o mercado de trabalho formal no Brasil, o poder aquisitivo da grande maioria da população e diminuiu o percentual de miseráveis no País, o mercado interno transformou-se na principal alavanca do crescimento nacional, produzindo em consequência, um desenvolvimento real e auto-sustentado.
Mais de 80% do povo brasileiro tem apoiado no fundamental o governo Lula apesar do intenso bombardeio de uma mídia hegemônica conservadora, de caráter antidemocrático, antinacional e avessa à emergência social dos segmentos populares. Aos setores nacionalistas, desenvolvimentistas e às esquerdas alagoanas torna-se fundamental a construção paciente e serena do consenso, ou da ampla maioria, de uma coalizão ao lado do presidente Lula e da candidata Dilma Roussef. Porque o que vamos vivenciar será um pleito nacional e estadual de conteúdo nitidamente plebiscitário. * Advogado, Secretário de Cultura de Maceió AL. Fonte:Vermelho

Brasil se prepara para chegada de carro elétrico. Imóvel em SP terá garagem adaptada

Governo anunciará nesta terça-feira (25) plano de estímulo à tecnologia
Em poucos anos, o consumidor brasileiro – acostumado com motores movidos a etanol, gasolina e GNV – terá mais uma opção: carros elétricos. A novidade movimenta o mercado. Não apenas o automobilístico, mas também os setores que serão beneficiados por esses novos veículos. Embora eles devam começar a chegar em 2015, um empreendimento de alto luxo em Alphaville, na Grande São Paulo, já tem previsto no projeto uma garagem adaptada para receber modelos elétricos.

A construtora do imóvel, a BKO, afirma que esse diferencial é pioneiro no mercado da construção, o que confirma duas realidades. Primeiro, que o setor energético do país viverá uma autêntica revolução muito em breve. Segundo, que a menos de cinco anos de começar a vender automóveis elétricos, as grandes capitais brasileiras estão atrasadas em relação à infraestrutura para receber a tecnologia.

Auto Esporte:

sábado, maio 22, 2010

Queimadas: quem for pego ateando fogo pode pagar multa de até R$ 1 mil em Bragança Paulista

VNews
Fiscalização da lei municipal está reforçada por causa do tempo seco

Em Bragança Paulista foi declarada guerra contra as queimadas. Colocar fogo em terreno pode significar multa de mil reais. A fiscalização da lei municipal está reforçada por causa do tempo seco.

A prática de queimadas é comum na limpeza dos terrenos baldios. Mas para quem pensa que está se livrando dos problemas... "Esse fogo mata a população de microorganismos, de bactérias que tem no solo. Então, o que que acontece, quanto mais você queima, mais infértil fica o solo, ou seja, mais adubo, mais tratamento a pessoa tem que dar pra poder cultivar alguma coisa naquele solo", exlica Joaquim Oliveira, secretário de Meio Ambiente.

Queimada é crime ambiental. Além de multa prevista em uma lei municipal de Bragança, criada o ano passado, agora a fiscalização foi reforçada, porque a fumaça e o tempo seco acaba sendo um risco para a saúde.

Em apenas uma semana, a guarda municipal ambiental multou 10 pessoas e notificou outros 14 donos de terreno. "Primeiro ocorre um trabalho de conscientização da população pra que ela colabore não só com a fiscalização, mas que evitem que ocorram novamente outras queimadas, possam orientar os vizinhos", conta Alexandro de Souza Morais, chefe da divisão de fiscalização.
Seo João Eli agradece. Todos os dias, o zelador sente no ar os riscos desta fumaça. "É difícil, porque é muito baixa a umidade do ar, complicado até pra respirar".

"A fumaça é rica em substâncias tóxicas que podem irritar as vias aéreas, podem causar problemas alérgicos, podem causar problemas principalmente em crianças e idosos", explica Oliveira.

A multa pode ser aplicada ao dono do terreno ou ao causador da queimada. A autuação é feita em caso de flagrante ou por meio de denúncias com provas.

Fumaça Perigosa

Quem coloca fogo em mato leva multa

4 Non Blondes - What's Up

http://www.youtube.com/watch?v=ZwCt0YQPn7g

Music video by 4 Non Blondes performing What's Up. -Watch this video with lyrics at www.vevo.com (C) 1992 UMG Recordings, Inc.
4 Non Blondes was an American rock band formed in 1989. The group consisted of bassist Christa Hillhouse, guitarist Shaunna Hall, drummer Wanda Day and vocalist Linda Perry. Prior to the release of their first album, Roger Rocha replaced Hall on guitar, and Dawn Richardson replaced Day on drums. They hit the charts in 1993 with "What's Up", their only hit. Perry left the band in 1995 to begin a solo career, and the remaining members disbanded.

4 Non Blondes é uma banda de rock alternativo, norte-americana, formada em 1989 em San Francisco, com Linda Perry (vocal), Roger Rocha (guitarra), Christa Hillhouse (baixo), Dawn Richardson (bateria).

história:
Elas achavam que o fato de nenhuma ser loira era algo peculiar, assim nomearam-se "As Quatro Não-Loiras" (4 Non Blondes). Seu único álbum, Bigger, Better, Faster, More! (1992), recebeu o prêmio de melhor álbum, vendendo cerca de seis mihões de cópias em todo o mundo. Os singles "What's Up", um dos maiores hits da década de 90, recebeu o prêmio de melhor música de Bay Area, e Linda Perry foi eleita como a melhor cantora do ano. O sucesso da banda levou Perry a deixar o grupo, considerando-o muito pop. Ela seguiu carreira solo e lançou dois álbuns: In Flight (1995) e After Hours (1998), sem muito sucesso. Como produtora, Perry trabalhou com cantoras famosas como Pink e Christina Aguilera. Roger Rocha trabalhou com os Dolorosa, em 1995, e juntou-se à banda Mockingbirds, em 1997.

Origem Wikipédia
Linda Perry > What's Up?
Composição: Linda Perry
Twenty-five years and my life is still

Trying to get up that great big hill of hope
For a destination

I realized quickly when I knew I should
That the world was made up of
This brotherhood of man
For whatever that means

And so I cry sometimes
When I'm lying in bed
Just to get it all out
What's in my head
And I am feeling a little peculiar
And so I wake in the morning
And I step outside
And I take a deep breath and I get real high
And I scream from the top of my lungs
What's going on?
And I say, hey hey hey hey
I said hey, what's going on?

Ooh, ooh ooh
And I try, oh my god do I try
I try all the time, in this institution
And I pray, oh my god do I pray
I pray every single day
For a revolution.

And so I cry sometimes
When I'm lying in bed
Just to get it all out
What's in my head
And I am feeling a little peculiar
And so I wake in the morning
And I step outside
And I take a deep breath and I get real high
And I scream from the top of my lungs
What's going on?
And I say, hey hey hey hey
I said hey, what's going on?

Twenty-five years and my life is still
Trying to get up that great big hill of hope
For a destination

Letras.mus.br:

sexta-feira, maio 21, 2010

Judeus dos EUA escancaram suas opiniões divergentes sobre Israel

Crítica ao estado era tabu entre famílias e grupos judeus americanos. Mas a tensão diplomática com o governo Obama tornou a discussão pública.

Há muito tempo, criticar Israel tem sido um tabu em muitas famílias e grupos de amigos judeus, levando as discordâncias a uma zona desmilitarizada de conversa aonde apenas os inocentes e os imprudentes vão.

“Realmente, não podemos falar sobre isso”, disse Phillip Moore, professor neste subúrbio de Detroit que abraçou fortes opiniões em muitos temas de sua vida – política, educação, até religião –, mas evita o assunto Israel em reuniões com seus parentes judeus.

“Você levanta a questão das forças de segurança ou dos acampamentos, e de repente está sendo comparado a uma pessoa que nega o Holocausto”, disse Moore, 62 anos. “Não é uma discussão racional, então fico calado”.

Porém, a recente tensão entre o governo de Obama e o israelense sobre o enguiçado processo de paz no Oriente Médio colocou as questões por trás das discussões familiares há muito tempo evitadas diretamente à vista do público. Essa tensão levantou sérios questionamentos sobre se a liderança tradicional do mundo judeu americano é amplamente apoiada pela massa de americanos judeus.

As questões surgiram em abril, quando autoridades americanas repreenderam publicamente Israel em relação ao anúncio de novos planos de construção no leste de Jerusalém, e provavelmente crescerão, à medida que diálogos indiretos entre israelenses e palestinos, mediados pelo governo de Obama, são retomados. O presidente Barack Obama, que trabalha para aliviar essas tensões, se encontrou recentemente com o ganhador do Nobel Elie Wiesel, que tinha criticado o governo americano em um anúncio no mês passado.

Muitos outros judeus célebres, representando a liderança organizacional conservadora que tem sido a voz dominante da comunidade judaica há décadas, também criticaram recentemente a pressão do governo Obama em Israel. Alguns até acusaram a Casa Branca de sabotar as bases do estado judaico.

O ex-prefeito de Nova York Edward I. Koch falou por muitos defensores firmes de Israel recentemente, quando disse a uma multidão raivosa de 500 pessoas unidas do lado de fora do consulado israelense em Manhattan, em declaração gravada em vídeo, que a exigência de Obama para uma paralisação dos assentamentos no leste de Jerusalém era nada menos que um esforço orquestrado “para minar a legitimidade do estado de Israel.”

Embora essas vozes tenham sido fortes e sua mensagem, inconfundível, uma nova ala de defensores de Israel começou a desafiar o apoio reflexivo antigo das políticas do país, sugerindo que o individuo não tem de ser submisso às políticas de Israel para amar o país.

“Muitos judeus têm sentimentos confusos em relação a Israel”, disse o rabino Tamara Kolton, do Templo Birmingham, uma congregação humanística secular localizada em Farmington Hills. “Eles apoiam Israel, mas é complicado. Até agora, você nunca ouvia falar dessas pessoas. Só ouvia falar dos organizados, dos que estão 100% certos: ‘Nós estamos certos, eles estão errados’.”

Na eleição de 2008, 78% dos eleitores judeus apoiaram Obama, e pesquisas sugerem que a maioria continua a apoiar suas políticas.

Em uma pesquisa realizada depois do conflito diplomático de março, o Comitê Judeu Americano – o centro do grupo tradicional dominante – encontrou pouca mudança no grau de apoio judeu à forma como Obama lida com as relações com Israel. A pesquisa descobriu que 55% aprovam a forma como o presidente lida com as relações com Israel, em comparação a 54% no ano passado (seu índice de reprovação aumentou 5 pontos, para 37%).

Jeremy Ben-Ami, fundador de um grupo de lobby de Washington chamado de J Street, a mais nova de várias organizações que representam a voz de judeus liberais que apoiam Israel, mas não todas as suas políticas, disse que muitas pessoas há muito tempo se sentem ignoradas ou silenciadas pelo establishment pró-Israel nos Estados Unidos.

“As pessoas estão cansadas de ouvir que ou estão conosco ou contra nós”, ele disse. “A maioria dos judeus americanos apoia o presidente, a solução de dois estados e não acham que estão bem representados por organizações que exigem obediência a todo e qualquer desejo do governo israelense. Obama recebeu 80% dos votos de judeus. Isso diz alguma coisa.”

Entretanto, no vasto espectro de opiniões, os judeus americanos continuam a ter fortes ligações com Israel, e as tensões recentes produziram um debate intenso, muitas vezes inflamado. O rancor fez com que delegados da convenção anual do Conselho Judaico de Assuntos Exteriores, uma grupo guarda-chuva de relações comunitárias que inclui todas as grandes organizações judaicas americanas, adotassem uma resolução, em fevereiro, pedindo a interrupção de “um nível de incivilidade, especialmente em questões pertinentes a Israel, que nunca foi testemunhado na história recente.”

Abraham Foxman, diretor nacional da Liga Anti-Difamação, previu que os índices de aprovação de Obama entre judeus logo refletiria o que ele chama de “profunda angústia” com sua abordagem.

“As pessoas estão com raiva”, ele disse. “Os americanos não querem a paz empurrada goela abaixo dos israelenses.”

Porém, Steven M. Cohen, sociólogo do Hebrew Union College, em Manhattan, e co-autor de um estudo publicado no ano passado que mapeou um acentuado declínio nos laços com Israel entre judeus mais jovens, afirmou que os jovens e as pessoas com inclinação liberal estão frustrados de serem rotulados de “anti-Israel” ou até anti-semitas por expressarem oposição ao tratamento dado por Israel aos palestinos nos territórios ocupados.

Muitos liberais citam uma medida enérgica em São Francisco como exemplo. Depois que líderes da Federação da Comunidade Judaica de São Francisco souberam que um dos grupos de cinema que eles apoiavam tinha patrocinado a exibição de um documentário israelense criticando forças de segurança de Israel (“Rachel”, sobre uma mulher americana morta em Gaza), eles adotaram novas regras no começo deste ano, proibindo qualquer uma das organizações culturais apoiadas por eles de apresentar programas que “minem a legitimidade do estado de Israel”.

William Daroff, vice-presidente de políticas públicas das Federações Judaicas da América do Norte, defendeu a decisão da federação de São Francisco. “É bom haver uma troca de opiniões aberta dentro da comunidade pró-Israel”, ele disse. “Mas deve haver algum tipo de limite entre a discussão construtiva e a comunicação destrutiva que não reconhece Israel como o lar eterno do povo judeu.”

As questões que os judeus agora enfrentam se origina não em ser pró ou contra Israel, mas nas nuances de diferenças sobre como alcançar a paz, e as complexidades da relação entre Israel – um estado cujo governo hoje é dominado por políticos nacionalistas e ultra-religiosos – e a base de apoio judeu predominantemente secular e de tendência liberal nos Estados Unidos.

O esforço para definir o terreno intermediário ficou em evidência no mês passado entre um pequeno grupo de judeus americanos que se uniram em uma sinagoga no subúrbio de Detroit para descrever a visão das recentes agitações de algum lugar no meio demográfico.

Havia sete pessoas da lista “mais ou menos ativa” do Templo Birmingham, disse Kolton, que se uniu a eles a pedido de um repórter porque eles mal se encaixavam no perfil de cerca de 60% de judeus americanos, de acordo com vários estudos: eles não pertencem a uma sinagoga, não vão a cultos, não pertencem a organizações judaicas, mas se consideram judeus – ligados a uma teia de história, cultura e DNA ao seu judaísmo e, por tabela, a Israel.

“Meus pais eram judeus, então sou judeu”, disse Rosetta Creed, 87 anos, administradora de hospital aposentada. “Entro em discussões com pessoas que criticam Israel.”

Todos eles afirmaram ter votado em Obama, apoiar seus esforços para estimular Israel e acreditar que nunca haveria paz no Oriente Médio sem a intervenção determinada dos Estados Unidos.

Entretanto, Creed disse: “Fico com raiva que os israelenses sempre sejam culpados pelos problemas e solicitados a fazer concessões”. “Sabe, os israelenses não são os que lançam mísseis e colocam combatentes em casas com crianças dentro.”

Cada um do seu jeito, todos se referiram à história da perseguição aos judeus no mundo todo e observaram que a ausência dessa perseguição aqui e agora não poupava a ideia e o medo (quando suásticas profanam uma sinagoga ou milícias neonazistas aparecem no telejornal) de que Israel sempre será o último santuário.

Com muitos de seus filhos casados com pessoas de outra origem, eles refletem sobre o significado que Israel teria para seus netos e bisnetos.

“Encaremos a verdade, a cada geração estamos ficando cada vez menos judeus”, disse Irving Hershman, agente de seguros criado em um lar ortodoxo.

Ele previu, com tristeza, que os laços entre judeus americanos e Israel se dissipariam em 5 ou 10 gerações.

Moore, o professor e diretor de escola, expressou frustração de que a voz da defesa israelense nos Estados Unidos esteja monopolizada pelo que ele chama de campo “Israel certo ou errado”.

Israel não é apenas o lar dos judeus, mas do judaísmo, ele disse, e deve ser conhecido por adotar os valores do centro do judaísmo – verdade, justiça, bondade, liberdade.

Isso é o que ele diria aos parentes “linha-dura”, ele disse, “embora tenha certeza que isso não mudaria a opinião deles”.

Tradução: Gabriela d’Ávila
G1

DILMA 60%- 70% DE CHANCE DE SER A PRESIDENTE DO BRASIL

Rousseff Likely Brazil’s Next President, Eurasia Says (Update1)

More From Businessweek
Bloomberg
By Andre Soliani

May 18 (Bloomberg) -- Brazilian presidential candidate Dilma Rousseff has a 60 percent to 70 percent chance of winning October elections, research company Eurasia Group said.

Rousseff will benefit from President Luiz Inacio Lula da Silva’s endorsement and her pledge to continue his economic policies, Christopher Garman, the Eurasia Group’s director for Latin America, wrote today in a report.

“The most important factor in this year’s election, which is often underappreciated by pundits, is the simple desire for continuity among voters,” Garman said. “This is Rousseff’s election to lose.”

The fastest economic expansion in more than two decades this year and the growth of the middle class under Lula will create support for Rousseff, Garman said. Rousseff, who served as Lula’s chief of staff and had previously never run for public office, erased a lead by opposition party candidate Jose Serra in a Sensus poll released yesterday.

Serra’s attempt to cast himself as representing continuity is a “tough sell” for an opposition candidate, Garman said.

Rousseff was supported by 41.8 percent of those surveyed by Sensus about their preferences should the candidates face off in a runoff election, while Serra, a member of the Social Democracy Party, had 40.5 percent backing. The May 10 to May 14 survey of 2,000 people has a margin of error of 2.2 percentage points.

Brazil’s first-round vote is scheduled for Oct. 3. Should none of the candidates get more than 50 percent of the votes in the first round, a runoff election between the top two vote getters will take place Oct. 31.

Latin America’s biggest economy will grow 6.3 percent this year, the fastest pace since 1986, according to the median estimate of 100 analysts surveyed by the central bank.

The real weakened 1 percent to 1.8182 per dollar at 3:40 p.m. New York time from 1.8006 yesterday.

--Editors: Brendan Walsh

To contact the reporters on this story: Andre Soliani in Brasilia at asoliani@bloomberg.net


To contact the editor responsible for this story: Joshua Goodman at


Traduzido pelo Google

Por André Soliani
18 de maio (Bloomberg) - O candidato presidencial Dilma Rousseff tem 60-70 por cento de chance de ganhar as eleições de outubro, a empresa de pesquisas Eurasia Group, disse.

Rousseff beneficiará aval do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu compromisso para continuar as suas políticas económicas, Christopher Garman, diretor do Eurasia Group para a América Latina, escreveu hoje em um relatório.

"O fator mais importante na eleição deste ano, que é frequentemente subestimado pelos especialistas, é o simples desejo de continuidade entre os eleitores", disse Garman. "Esta é a eleição Rousseff para perder."

O rápido crescimento econômico em mais de duas décadas neste ano e o crescimento da classe média no governo Lula vai criar apoio Rousseff, disse Garman. Rousseff, que atuou como chefe de pessoal de Lula e nunca haviam concorrer a um cargo público, apagados por uma liderança da oposição José Serra, candidato do partido em uma pesquisa Sensus divulgada ontem.

tentativa de Serra para lançar-se como representando a continuidade é uma venda "duro" para um candidato da oposição, disse Garman.

Rousseff foi apoiada por 41,8 por cento dos entrevistados pelo Sensus sobre as suas preferências devem ser os candidatos se enfrentam em um segundo turno eleitoral, enquanto Serra, membro do Partido Social-Democracia, teve 40,5 por cento de apoio. A 10 maio - 14 maio levantamento de 2.000 pessoas, tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais.

Brasil volta em primeira votação está marcada para 03 de outubro. Se nenhum dos candidatos conseguir mais de 50 por cento dos votos no primeiro turno, um segundo turno entre os dois getters votação terá lugar 31 de outubro.

maior economia da América Latina vai crescer 6,3 por cento este ano, o ritmo mais rápido desde 1986, de acordo com a estimativa mediana de 100 analistas consultados pelo Banco Central.

O real enfraquecido 1 por cento para 1,8182 por dólar em 3:40 horário de Nova York a partir de 1,8006 ontem.

- Editores: Brendan Walsh

Para contatar os repórteres nesta história: André Soliani em Brasília

asoliani@bloomberg.net


quinta-feira, maio 20, 2010

Mães voltam a enfrentar problemas no atendimento no pronto socorro infantil de Jacareí


Esta é quarta vez em menos de 30 dias que o Vanguarda TV flagra longas filas

A equipe de reportagem do Vanguarda TV registrou nesta quinta-feira (20), pela quarta vez em menos de 30 dias, as longas filas no pronto socorro infantil de Jacareí. O problema seria que os médicos têm faltado demais ao trabalho.

Credito: Reprodução / Rede Vanguarda Eliziane da Silva, por exemplo, chegou ao pronto socorro às 9h com os dois filhos. Mais de cinco horas depois, ela ainda esperava por um médico. “Estou desistindo já“, reclamou. Para Cleide Barbosa e a filha de 5 anos, a espera também foi longa. "Estou aqui há 6 horas, não só eu, tem muita gente aqui que chegou até antes“.

As mães que chegaram cedo contaram que na parte da manhã nenhum médico atendeu os pacientes. Por volta das 14h, mais de 50 crianças esperavam por atendimento. Na sala de espera lotada, tinha criança dormindo no chão. "Está um caos isso aqui. Isso está uma vergonha. Não tem médico, quem a gente vai procurar?", disse Zélia Gaudino.

Credito: Reprodução / Rede Vanguarda A prefeitura informou que havia apenas dois médicos no pronto socorro infantil nessa quinta-feira (20). O normal seriam três. Segundo o diretor de saúde, Eduardo Guadagnin, eles passaram toda a manhã atendendo pacientes que estão internados. "Tem 18 anos internadas na UPA, que a gente não consegue remover pra Santa Casa, que também está lotada", explicou.

E o problema se repete. No último mês, a reportagem do Vanguarda TV esteve quatro vezes no local e registrou reclamações parecidas de outras mães. O diretor de saúde reconhece que há um excesso de faltas por parte dos médicos e diz que a prefeitura vai tomar medidas para diminuí-las. "A gente está com um processo administrativo pra verificar essas faltas e como coibir as faltas em geral. Um outro processo é a contratação temporária, que nós abrimos essa semana".
Fonte: VNews

Sensus confirma Vox Populi. Confirmado: FHC é o bode na sala


Pesquisa CNT/SENSUS divulgada hoje confirma pesquisa Vox Populi publicada no último sábado, com Dilma Roussef à frente numericamente de Serra nas intenções de voto para presidente da República.
Estas são as primeiras pesquisas realizadas após a decisão do PSB em não ceder legenda ao Ciro Gomes para se candidatar a presidente, e ambas mostram que Dilma foi beneficiada com a saída do deputado do cenário de disputa, estratégia defendida desde o início pelo presidente Lula e que foi contestada pelos seus críticos. Mais uma vez a história mostra que Lula estava certo, e não seus críticos.
No cenário estimulado mais provável ao das eleições com todos os pré-candidatos postulantes, Sensus apurou que Dilma conseguiu 35,7% das intenções de voto contra 33,2% de Serra. Marina aparece em terceiro com 7,8%. Em um eventual segundo turno entre Dilma e Serra, a ex ministra venceria por 41,8% a 40,5%.
Apesar de ser considerado empate técnico devido à faixa de erro de 2,2%, a diferença numérica de 2,5% fica bem próxima da diferença de 3%, que apurou a Vox Populi em cenário semelhante.
As pesquisas Vox Populi e Sensus mostram que as trajetórias de Dilma e Serra seguem inalteradas, com crescimento constante e vigoroso para Dilma, com Serra patinando para baixo.
Elas mostram ainda como foram díspares e inexplicáveis os resultados apurados recentemente em pesquisas do Ibope e Datafolha, que no mesmo cenário deram vantagem para Serra, respectivamente de 10% e 12%. Só resta a estes dois últimos institutos corrigir os resultados nas próximas para tentar a salvar o que tenha restado de credibilidade.
O Sensus apurou ainda que na pesquisa espontânea, onde não são apresentados nomes ao pesquisado, Dilma aparece com 19,8% contra 14,4% de Serra. Lula, mesmo sem ser candidato, aparece na espontânea em terceiro com 9,7%.
Outros dados:
27,1% dos entrevistados disseram que só votariam em um candidato apoiado pelo presidente Lula, enquanto 33,7% podem votar no candidato que o presidente apoiar. Apenas 20,7% disseram que não votariam no candidato do presidente.
A avaliação positiva do governo Lula subiu de 71,5% na última pesquisa para 76,1% na atual, enquanto a avaliações pessoal de Lula subiu de 81,7% para incríveis 83,7%. Dois novos recordes.
O Povo não perdoa FHC:
Míseros 5,7% só votariam em um candidato apoiado por FHC, enquanto 17,8% disseram que poderiam votar. A maioria esmagadora de 55,4% NÃO VOTARIA EM CANDIDATO APOIADO POR FHC.
Será que ficou claro agora? Espero que a imprensa e a oposição defenda bastante o governo FHC, se possível tentem explicar de uma forma mais clara para a população brasileira sobre o fracasso daquele governo.
Levem o FHC para o palanque, defendam as privatizações e os “benefícios” daquele governo. A incapacidade de enxergar um palmo a frente do nariz faz com que insistam em defender o indefensável.
Por outro lado fica claro para a campanha de Dilma Roussef que a estratégia de campanha é correta em pautar a discussão em torno das comparações, que apavoram a oposição e seus apoiadores na velha mídia, e de colar José Serra no FHC.
A campanha de Serra entrou em franco colapso. Começou a temporada de desembarque da candidatura fadada ao fracasso. E que não se diga depois que não avisamos antes.

http://gmpconsult.com.br/blogdolen/

quarta-feira, maio 19, 2010

Famílias de baixa renda de São José dos Campos ainda não foram contempladas pelo plano "Minha Casa, Minha Vida"


Quando o programa foi lançado, 26 mil famílias de baixa renda se inscreveram na cidade

O programa "Minha Casa, Minha Vida", do governo federal, foi lançado como uma oportunidade para quem não podia comprar o imóvel próprio. Mas em São José dos Campos, os imóveis para famílias de baixa renda ainda não saíram do papel. Os construtores dizem que o problema é a falta de áreas na cidade.

Credito: Reprodução / Rede Vanguarda Rachel e Glauciano se cadastraram no programa no ano passado e começaram a sonhar com o novo endereço, mas até agora nada aconteceu. "Assim que eu fiquei sabendo, fui fazer a inscrição. Até agora eles não me ligaram, não me deram nenhuma resposta", reclamou Rachel Nunes.

Quando o programa foi lançado em abril de 2009, 26 mil famílias de baixa renda procuraram a prefeitura de São José para se inscrever. Os interessados chegaram a ficar horas na fila. Até hoje ninguém foi contemplado.

Na região do Vale do Paraíba há contratos fechados para a construção de 5.615 unidades habitacionais por meio do programa “Minha Casa, Minha Vida”. Desses, 2.169 são direcionados ao público que ganha de 0 a 3 salários mínimos.

Credito: Reprodução / Rede Vanguarda O problema é que nesse primeiro ano nenhum contrato foi assinado para esse grupo em São José. Por enquanto, há somente a previsão de que 2 empreendimentos sejam aprovados pela Caixa nos próximos meses, que representariam 839 casas. A expectativa é que até o final do plano, em março de 2011, esse número atinja 2.253 unidades.

Segundo o presidente da Associção das Construtoras, Cléber Córdoba, a grande dificultade é encontrar áreas com infraestrutura que possam ser aproveitadas para esse tipo de moradia. "Essa faixa de 0 a 3 salários vai sofrer muito para conseguir ter a casa própria, porque não está sendo viável a construção de uma casa no valor de R$ 48 mil em São José dos Campos, onde o terreno custa algo em torno de R$ 30 mil".

Fonte: VNews

Cidade do Rio de Jneiro


A cidade do Rio de Janeiro é agraciada por uma conformação terra e mar que a fazem detentora de uma combinação ímpar. Sua imagem está espalhada internacionalmente mostrando a baia da Guanabara e os montes que compõem o Pão de Açúcar e o Corcovado. Não precisa nem legenda, a maioria esmagadora sabe de que se trata. Turisticamente é visita obrigatória para quem aqui se dirija.

Felizmente não é só isso que é o nosso Rio de Janeiro. Praias a perder de vista, praias essas que trazem junto facilidades para se poder curti-las. Existem incontáveis e bons hotéis, restaurantes, churrascarias, quiosques e bares, além de muitas lanchonetes para uma comida rápida. Com isso se consegue comida mais em conta, por exemplo, a quilo ou de alto nível. A par disso ainda temos as especiarias que oferecem comidas e bebidas internacionais.

Quanto à cidade, como tantas outras, o movimento é a regra geral. Andar pela zona central ou sul da cidade é bem mais fácil do que para os demais destinos. Isso tendo em vista que é mais fácil se orientar por pontos estratégicos, qual sejam: as barcas Rio-Niterói que leva ao outro lado da baia e Ilha de Paquetá, o próprio pão de açúcar que é visto de muitos lugares, o Corcovado e as praias. Outro referencial também é a Ponte Rio/Niterói, cuja travessia se torna obrigatória para apreciar a paisagem que vai se apresentando por um lado a cidade do Rio de Janeiro e do outro Niterói, que pela sua proximidade, às vezes mais próxima do que muitos bairros é chamada de cidade-dormitório. As Linhas Vermelha e Amarela são caminhos que facilitam a locomoção do centro para a saída da cidade, bem como para se dirigir a uma parte nobre que é a barra da Tijuca.

Entretenimento para qualquer gosto é o que não falta. Variados teatros com as peças mais atuais e artistas sobejamente conhecidos, bem como ótimas produções. Cinemas bem projetados e que mantém em dia a safra de sucessos nacionais e internacionais. Discotecas, boates e restaurantes finos com apresentação de cantores e espaços destinados a danças. Casas de shows oferecem seus programas dentro e nas cercanias da cidade.

O ponto negativo fica por conta da violência apresentada pelos assaltos, vandalismo e brigas, que aparecem mais noticiadas na Tv e jornais. Apesar de muita gente afirmar que é normal se conviver com isso, os fatos apontados, pelos seus números e confronto com os milhões de habitantes da cidade se enquadram na performance de uma grande metrópole.

Fonte: cidades.com.br

terça-feira, maio 18, 2010

Serra não foi aplaudido nem uma vez


O Globo

Serra falou durante 58 minutos para uma platéia formada por empresários e lideranças políticas de partidos aliados, como PPS e Democratas. Não só fez a defesa das privatizações realizadas no governo de Fernando Henrique Cardoso de forma enfática, como disse que foi "o responsável pelo programa de privatização" na época em que foi ministro de FHC.

- Nunca condenei o passado. A intervenção do Estado no Brasil sempre foi muito eficiente. Mas o mundo tinha mudado. Não tinha sentido o Estado fabricar aço, insumos petroquímicos ou mesmo (gerir) telecomunicações que têm uma dinâmica de progresso tecnológico que o Estado não é capaz de aguentar porque investimento em empresa pública entra na conta do déficit.

Serra não foi aplaudido nem uma vez, apesar de ter prometido a criação do Conselho de Desenvolvimento do Nordeste. O novo órgão seria ligado à Presidência da República para coordenar investimentos na região. Ele não explicou se teria status de ministério. Serra já anunciou que criará o ministério da Segurança e do Deficiente Físico.

O tucano defendeu a qualidade da gestão governamental e voltou a criticar o loteamento das agências reguladoras loteadas entre partidos políticos.

domingo, maio 16, 2010

Presidente Lula


Entrevista do presidente Lula ao SBT (partes 1 e 2)


Por: Daniel Pearl

O dia em que a terra parou


Essa noite eu tive um sonho
de sonhador
Maluco que sou, eu sonhei
Com o dia em que a Terra parou
com o dia em que a Terra parou

Foi assim
No dia em que todas as pessoas
Do planeta inteiro
Resolveram que ninguém ia sair de casa
Como que se fosse combinado em todo
o planeta
Naquele dia, ninguém saiu saiu de casa, ninguém

O empregado não saiu pro seu trabalho
Pois sabia que o patrão também não tava lá
Dona de casa não saiu pra comprar pão
Pois sabia que o padeiro também não tava lá
E o guarda não saiu para prender
Pois sabia que o ladrão, também não tava lá
e o ladrão não saiu para roubar
Pois sabia que não ia ter onde gastar

No dia em que a Terra parou (Êêê)
No dia em que a Terra parou (Ôôô)
No dia em que a Terra parou (Ôôô)
No dia em que a Terra parou

E nas Igrejas nem um sino a badalar
Pois sabiam que os fiéis também não tavam lá
E os fiéis não saíram pra rezar
Pois sabiam que o padre também não tava lá
E o aluno não saiu para estudar
Pois sabia o professor também não tava lá
E o professor não saiu pra lecionar
Pois sabia que não tinha mais nada pra ensinar

No dia em que a Terra parou (Ôôôô)
No dia em que a Terra parou (Ôôô)
No dia em que a Terra parou (Uuu)
No dia em que a Terra parou

O comandante não saiu para o quartel
Pois sabia que o soldado também não tava lá
E o soldado não saiu pra ir pra guerra
Pois sabia que o inimigo também não tava lá
E o paciente não saiu pra se tratar
Pois sabia que o doutor também não tava lá
E o doutor não saiu pra medicar
Pois sabia que não tinha mais doença pra curar

No dia em que a Terra parou (Oh Yeeeah)
No dia em que a Terra parou (Foi tudo)
No dia em que a Terra parou (Ôôôô)
No dia em que a Terra parou

Essa noite eu tive um sonho de sonhador
Maluco que sou, acordei

No dia em que a Terra parou (Oh Yeeeah)
No dia em que a Terra parou (Ôôô)
No dia em que a Terra parou (Eu acordei)
No dia em que a Terra parou (Acordei)
No dia em que a Terra parou (Justamente)
No dia em que a Terra parou (Eu não sonhei acordado)
No dia em que a Terra parou (Êêêêêêêêê...)
No dia em que a Terra parou (No dia em que a terra parou)

video

quinta-feira, maio 13, 2010

Cuidar bem do seu dinheiro é sinal de saúde!

Fotos: Shutterstock

Nos próximos 20 anos, a depressão deve se tornar a doença mais comum no mundo e ainda não há um motivo concreto para explicar suas causas. Ela pode ser desencadeada por uma perda amorosa, pela falta de amigos, por uma vida financeira sem sucesso... Graça Lara, mestre em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (USP), acredita na importância de equilibrar as cinco dimensões de sua vida: mental, emocional, física, espiritual e financeira. Ela destaca que o foco em somente uma única dimensão – seja ela qual for – aumenta os riscos da pessoa entrar em depressão, caso esse aspecto da sua vida não esteja indo tão bem. “O certo é o equilíbrio em todas as dimensões”, alerta. Por isso, é importante cuidar bem das finanças da sua família. O economista João B. Sundfeld garante que é muito simples fazer um orçamento. “Basta somar tudo o que é recebido pelo casal. Em seguida, é preciso somar todas as despesas, não evitando nenhuma, ou seja, aluguel, prestação do apartamento, plano de saúde, supermercado, feira, água, luz, telefone, combustível, escolas, cartão de crédito, mesadas etc. Enfim, tudo o que gastamos. Pegue seu saldo bancário positivo, some os recebimentos e deduza o total das despesas. O saldo é um valor que será a sobra ou poupança”. Simples, não?

Fotos: Shutterstock

Mais tempo para você!
Uma pesquisa revelou que a maioria das mulheres não encontram equilíbrio entre o trabalho e as atividades pessoais. Essa insatisfação revela a necessidade da mulher em dedicar mais tempo para si mesma. Porém, não basta apenas conquistar um espaço na agenda, é preciso saber aproveitá-lo com plenitude. “Essa sensação de que a vida não tem valido tanto a pena é comum em pessoas que deixam de acreditar na sua missão e passam a viver pelo acaso do dia a dia. Elas esquecem que são os verdadeiros guias dos seus caminhos e adotam a vã filosofia ‘deixo a vida me levar’”, destaca Anderson Cavalcante, consultor especializado em qualidade de vida. “A mulher deve entender que cuidar dos outros é importante, mas sem deixar de lado a própria existência. Ter claro sua missão de vida é essencial para delinear os passos até a realizaçã finaliza.

Fotos: Shutterstock

Pesquisadores da Universidade de Columbia (EUA) descobriram uma ligação direta entre as emoções e as doenças cardíacas. O estudo, publicado na revista da Sociedade Europeia de Cardiologia, sugere que pode ser possível evitar as doenças cardíacas tendo uma atitude mais positiva diante da vida. Segundo o estudo, as emoções positivas podem influenciar a frequência cardíaca, os padrões de sono e até o abandono do cigarro. Isso porque as pessoas felizes experimentam períodos maiores de relaxamento, permitindo que se recuperem mais rapidamente de situações estressantes, sem perder tempo remoendo essas situações negativas, o que pode causar danos à saúde. Para o cardiologista Otávio Gebara, diretor clínico do Hospital Santa Paula (SP), pessoas de bem com a vida costumam cuidar mais da saúde e gerenciar os problemas sem sobrecarregar o organismo. “O que se sabe é que algumas atividades, como a meditação e o relaxamento, liberam na circulação substâncias protetoras e diminuem os hormônios ligados ao estresse, como o cortisol e a adrenalina”, orienta.

Por Cínthia Ceribelli